aforismos e afins

24 junho 2005

A minha (pro)vocação (preferida) - 3/4

8. «Na sua primeira paixão a mulher ama o seu amante;
em todas as outras, do que ela gosta é do amor.» [Byron]

9. «Deus fez a rapariga, e o homem fez a mulher.»
[Béroalde de Verville]

10. «Não nascemos mulheres; tornamo-nos.» [Simone de Beauvoir]

2 Comments:

  • Não é tão literal. Nas segundas e terceiras amamos muito mais o amor, mas continuamos a querer o amante. Damos-lhe é mais desconto.

    Não. Nada disso. Deus fez a rapariga e o rapaz. A rapariga faz o rapaz. A mulher faz o homem. Deixam-nos pensar o contrário (e joga-se interesse nisso!)

    Tal como não nascemos homens, tornamo-nos. Ela também o disse.

    By Blogger Isabela, at 1:30 da manhã  

  • A sério que também disse isso (em relação aos homens)? Não sabia, julgava que não. Eu julgo que há algo físico que separa o rapaz da rapariga e que em conjunto com as normas sociais faz com que uma rapariga seja mais retraída e se descubra mais tarde. A outra frase do Oscar Wilde que não coloquei é "Women know life too late. That is the differnce between men and women." Nã sei se é só inocência, mas acho que há alguma ponta de verdade nisto. E por isso é que são tão (mais) adoráveis.

    By Blogger Tiago Mendes, at 8:17 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home