aforismos e afins

05 novembro 2005

Apocalíptico

Já imaginaram que haja quem tenha que esperar dois anos para consumar a aguardada e prometida noite de núpcias? Na Europa a caminho dos pós-secularismo, é permitido casar aos 16, mas sexo só aos 18. Aposto 70 em 100 em como, apesar dum abençoado júbilo, João César das Neves não nos vai falar disso na 2ª feira.

6 Comments:

  • O mais estranho é definir uma "idade legal para" . Como se todos os corpos e todas as mentes funcionassem no mesmo "bio-fuso-horário" ! E será que alguém pensou no facto de que, por um outro lado, a restrição pode sugerir o fabrico de manobras de extorsão, e assim ter um efeito perverso?

    By Blogger Ginja, at 12:53 da manhã  

  • Mas esse é um argumento muito falacioso e perigoso, cara Ginja... tem que sempre haver uma estipulação, mesmo que com custos vários. Tem de haver idade para votar, idade para tirar carta de mota, etc. O que me choca é 1) mudar a idade para cima, e 2) manter esse pequeno paradoxo (menos para JCN e Cª) de se poder casar antes dos 18. Já nem falo da questão sexual, que era uma mera piadinha. Mas achar que o casamento requer MENOS discernimento e maturidade que uma relação é sexual é - no mínimo - doentio. Essa é que é a verdadeira questão. A meu ver, that is.

    By Blogger Tiago Mendes, at 12:58 da manhã  

  • Já agora, um artigo, escrito há cento e tal anos, sobre o mesmo assunto:

    http://flag.blackened.net/daver/anarchism/tucker/aoc.html

    Uma passagem

    "Since the above was written, the Woman Suffrage Association has been in convention in Atlanta, and it had a jubilee over the news that the bill raising the age of consent to twenty-one years, introduced by the Hon. Mrs. Holly in the Colorado assembly, had been passed by that body of wiseacres (...). Why did the legislature not raise the "age" to sixty years and be done with it? Why stop at trifles, or be influenced in the least by considerations of good sense and justice?"

    By Anonymous Miguel Madeira, at 1:54 da manhã  

  • Obrigado pelo link, caro Miguel. Eu insistiria que o argumento não está no "limite", porque tem sempre de haver um (como para os limites do défice), mas na razão da mudança. Eu não percebo mesmo é como os conservadores poderão rejubilar com isto, dado que a "disposição conservadora" não gosta de mudança!

    By Blogger Tiago Mendes, at 10:40 da manhã  

  • Outra coisa que eu não percebo é o que a UE tem a ver com isto.

    A razão de ser da "harmonização legal" é porque, num espaço de livre circulação de mercadorias, pessoas, etc., as politicas de um país afectam os outros: a politica económica do país A pode afectar o pais B; a politica de imigração do pais A afecta o pais B (já que não há controles fronteiriços dentro da UE), etc.

    Mas não vejo aonde é que a "idade do consenso" no país A afecta o país B.

    By Anonymous Miguel Madeira, at 4:26 da tarde  

  • Miguel, acho que é para facilitar os dilemas do direito internacional. Imagina tu que um tipo sério em Inglaterra cometia um acto que seria legal no seu país mas ilegal na terra de Sua Majestade. Tás a ver? Acho que é mesmo para minorar problemas jurídicos, nada mais... ;)

    By Blogger Tiago Mendes, at 4:32 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home