aforismos e afins

26 novembro 2005

Re: Re: Liberalismo e Silogismos

A resposta ao extenso e cordial texto onde João Miranda critica e analisa a primeira premissa do silogismo que eu propus aqui, está dada, exaustivamente, na caixa dos comentários.

Acho que vale bem a pena lerem mesmo tudo.

6 Comments:

  • acrescentei uma nota 3 ao meu post sobre a amizade que acho se aplica ao Joao Miranda. Eu fico sempre com a sensacao que ele nao responde nem presta muita atencao as criticas que lhe sao dirigidas. Se calhar estou a ser injusto para com o JM, mas tenho a sensacao que ele nunca reconheceu um erro, uma limitacao, falta de conhecimento...nada. E e isso, mais do que discordar com o conteudo dos seus posts, que me faz perder a cabeca. Alias, foi isso, mais do que o post do Adolfo, que me levou a escrever o meu post.

    Abracos

    By Blogger Joao Galamba, at 5:39 da tarde  

  • Caro João,

    Eu penso que o JM reconhece os erros quando não responde ao que os comentadores dizem. Assim, se ele não responder a um comentário seu, nem escrever um post de seguida sobre o mesmo tema, é porque, em princípio, admite que o João tem razão.

    Mas é, de facto, verdade que nunca vi o JM a reconhecer um erro. E já discuto com ele há cerca de 6 anos.:)

    By Anonymous José Barros, at 9:48 da tarde  

  • "Eu penso que o JM reconhece os erros quando não responde ao que os comentadores dizem. Assim, se ele não responde a um comentário seu, nem escrever um post de seguida sobre o mesmo tema, é porque, em princípio, admite que o João tem razão."

    Também tenho o mesmo entendimento, embora, claro, salvaguarde que isso seja um julgamento probabilístico e não certo e seguro. Mas é um facto que quando não há feedback... é porque com grande probabilidade a coisa terá ficado entalada...

    6 anos, hein??? Muito tempo de (não?) dialéctica...

    By Blogger Tiago Mendes, at 10:04 da tarde  

  • Caro Tiago,

    O JM e eu participávamos no fórum de discussão do site da crítica. O fórum chamava-se Argumentos e já acabou. Entretanto, o JM mudou-se para o Liberdade de Expressão e depois para o Blasfémias.
    Honra lhe seja feita, o JM é uma pessoa coerente. Sempre defendeu o liberalismo nos exactos mesmos termos em que o defende agora. A teimosia também é a mesma.:)

    By Anonymous José Barros, at 10:39 da tarde  

  • Ok, caro José Barros. Não acompanhei essa fase... mas a coerência ninguém a nega. Mas... coerente também o Cunhal era. Não chega.

    By Blogger Tiago Mendes, at 10:55 da tarde  

  • "para um liberal a possibilidade de um indivíduo escolher livremente, intencionalmente, e (logo) com responsabilidade, é NECESSÀRIA para que possa haver um julgamenteo moral"

    Esse parece-me ser mesmo o centro da polémica toda. Mas porque é que um "liberal" (i.e., no contexto, um defensor do liberalismo politico e económico) só há-de poder fazer julgamentos morais sobre coisas que resultam de escolhas? Porque é que alguém não há-de poder achar que é um pecado ter olhos verdes e, mesmo assim, defender o liberalismo politico e económico como melhor forma possível de organização social?

    Acho (como já referi) que há muitos problemas nas posições de certos liberais "conservadores", mas não me parece que esse seja um deles (pelo menos, não me parece que um "liberal anti-olhos verdes" seja mais problemático que um "liberal anti-lentes de contacto verdes")

    P.S. (não tem nada a ver com a assunto): Cunhal (e, em geral, os Comunistas-com-C-grande) deve ter sido dos politicos mais incoerentes que houve.

    By Anonymous Miguel Madeira, at 12:10 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home