aforismos e afins

21 fevereiro 2006

Ter de / Ter que

- Vamos hoje ao cinema?

- É pá'... afinal não vou poder ir, tenho que fazer...
[informação sobre algo que se tem em mãos]

- Então?

- Olha, tenho de arrumar o quarto, tenho de ir às compras, e tenho de ir cortar o cabelo. [Obrigações / deveres]

- Ok... Mas eu tenho mesmo de ir ao cinema. [Desejo / necessidade]. Estou com fome de filmes, e também me apetece esbanjar algum dinheiro na Assério & Alvim, hehe.

- Com pena minha, terás realmente de ir sozinho. [Inevitabilidade] A minha agenda também não está fácil. Tenho muito que escrever. Tenho de escrever três recensões de livros, mais uma de cinema e outra de música para aquela revista que anda muito na moda.

- No worries, mate. Deixa lá. Estou é a ficar com fome. Tens que comer em casa? Tenho mesmo de comer qualquer coisa rápido.
- Vamos ali à mercearia, que lá temos muito que comprar. E temos de ir já, antes que ela feche!

Ou seja, usamos:

"Ter de" para exprimir obrigação, necessidade, desejo, dever, inevitabilidade.

Por exemplo, "tenho de estudar" exprime uma necessidade, dever, ou desejo que o indíviduo sente relativamente ao acto de estudar.

"Ter que" como expressão idêntica a "possuir", "estar na posse de", etc, que se refere a algo que não é explicitado na frase, mas apenas sugerido.

A expressão "tenho que estudar" significa que há algo (por exemplo, cem páginas de matemática ou de história) que o indivíduo tem para estudar, quer sinta um dever ou não: o importante é que isso está à disposição para ele estudar.

Nota: agradecimentos são devidos à sra. Educadora por este muito esclarecedor link e pelo aclaramento complementar sobre um tema que me proporcionava erros constantes; e também ao Luís que me enviou em tempos uma prosa muito interessante sobre o assunto.

PS: eu, por exemplo, teria muito que blogar, mas tenho de me abster de fazê-lo. Depois duma pausa em jeito de serviço público, tenho de voltar à carga noutras frentes bem mais prioritárias. E sabe bem ter muito que fazer. Que é como quem diz, ter que escolher. E, depois, consciente dos apetites pela diversidade, ter de escolher bem.

14 Comments:

  • Eu com a minha dislexia madeirense caio muito nesse erro >)

    By Blogger AA, at 5:23 da tarde  

  • Ah, es mesmo da Madeira... eu a pensar que tinhas ido la' passar o ano so' por "fetiche" ;-)

    Agora ja' nao tens desculpa para incorrer nesse erro, I suppose.

    By Blogger Tiago Mendes, at 5:24 da tarde  

  • Excelente texto, Tiago!

    By Anonymous CMF, at 7:28 da tarde  

  • Serviço público.:)

    By Anonymous José Barros, at 7:46 da tarde  

  • Grazie :)

    Zé: se e quando criares o tal blog, avisa a malta.

    By Blogger Tiago Mendes, at 10:56 da tarde  

  • Caro Tiago,

    Avisarei certamente se decidir ir em frente.

    Ps: gostava de fazer o blogue, mas ainda tenho de ver se sou capaz e se tenho tempo para fazer um blogue solitário. Um bom blogue a solo tem os seus custos de oportunidade. Tu sabes disso melhor que eu.:)

    By Anonymous José Barros, at 1:44 da manhã  

  • E este é um erro em que muitos caem, até gente de responsabilidades (directores de jornais, por exemplo).

    José Barros, os custos de oportunidade são elevados, mas os ganhos marginais por cada post não são de desprezar; e aumentam sempre com o tempo.

    By Blogger pedroromano, at 11:09 da manhã  

  • "José Barros, os custos de oportunidade são elevados, mas os ganhos marginais por cada post não são de desprezar; e aumentam sempre com o tempo."

    Acho que ja' podia escrever um mini-tratado sobre a materia, mas alerto apenas para a questao de esses ganhos marginais crescentes poderem estar relacionados com uma coisa simples: vicio. Quanto mais tens, mais queres ter. Nesse sentido, os ganhos sao sempre crescentes porque estas disposto a deixar de fazer cada vez mais por um "chuto" adicional.

    Ou seja, Ze', pensa bem antes de te meteres nisto! :-)

    By Blogger Tiago Mendes, at 11:41 da manhã  

  • Um próximo tema poderia sero o "ir ao encontro de" e "ir de encontro a". Nos media é corrente falar-se em "ir de encontro à opinião de X" como sendo estando de acordo, quando sabemos que significa exactamente o contrário...

    By Blogger Telmo A., at 3:16 da tarde  

  • Onde se leu "sero" deve ler-se "ser" e onde está "sendo estando" deveria estar "sendo estar"... são as pressas!

    By Blogger Telmo A., at 3:17 da tarde  

  • Obrigado Telmo, e' uma ideia a ponderar, mas primeiro vamos deixar que esta seja bem absorvida... e ainda publicar um ou outro quiz :)

    By Blogger Tiago Mendes, at 3:23 da tarde  

  • Ou seja, Ze', pensa bem antes de te meteres nisto! :-)

    Vou entrar em período de reflexão.:)

    By Anonymous José Barros, at 1:28 da manhã  

  • "Vou entrar em período de reflexão.:)"

    Só espero que não seja uma "sabática comentarista" ;)

    By Blogger Tiago Mendes, at 11:12 da manhã  

  • Só espero que não seja uma "sabática comentarista" ;)

    Não, isso não. Estou sempre pronto para uma boa polémica.:)

    By Anonymous José Barros, at 10:32 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home