aforismos e afins

02 dezembro 2005

Inaceitável

Esta medida da OMS de não contratar fumadores. Confundir hábitos privados com actos públicos, ainda para mais numa instituição pública, é inadmissível. Há uma coisa que me causa espécie nestes assuntos de saúde. É ouvirmos sempre:
«O tabaco é a principal causa de mortalidade evitável no mundo, com cerca de 4,9 milhões de mortes por ano, 13.500 por dia

Quanto ao tabaco, e desde que respeitados os direitos dos outros, cada um tem que ser livre de gastar o dinheiro onde lhe apetecer. Também ouvimos muito dizer que a principal causa de morte em Portugal são as doenças do coração. Que coisa horrível, já viram?
Mas acontece que: 1) as pessoas morrem; 2) haverá uma causa atribuível a cada morte; 3) as causas são contabilizáveis, logo, haverá sempre uma causa principal para a morte como agregado.

O que me irrita mesmo é menção inevitável do... evitável. Porque a morte é a única coisa segura para todos nós, por muito que nos custe aceitar essa fatalidade. Até que ela chegue, com mais ou menos pré-aviso, que cada um tome conta de si como bem lhe aprouver, evitando incomodar os outros, como se diz a seguir.

11 Comments:

  • É uma medida muito controversa, mas é bom reconhecer que a liberdade dos fumadores acaba onde começa a do não fumador. Acontece muitas vezes que se torna impossível respirar em certos locais, e isso é mau, porque implica com o bem estar do outro.A morte é uma estação que se alcança no fim da viagem e essa viagem pode ter mais ou menos acidentes. Evitá-los também é bom, porque torna a viagem mais agradável, não impedindo que cada viajante a programe como bem entender. Nesse aspecto, a imposição da OMS é inaceitável, mas como organismo relacionado com a defesa da saúde de todos nós não me parece assim tão incoerente a atitude, no aspecto em que eles falam nos 'malefícios do tabaco'. É caso para dizer que 'em casa de ferreiro não ao espeto de pau'.

    By Anonymous Anónimo, at 1:06 da tarde  

  • Uma pergunta: a morte e um acontecimento na vida de alguem, ou sera apenas uma permanente possibilidade?

    By Blogger Joao Galamba, at 1:14 da tarde  

  • Caro anonimo: eu sou nao fumador e consideravelmente anti-tabagista, mas isso nao me impede de aceitar e respeitar as escolhas dos outros. Neste caso, nao esta' em causa que as pessoas fumem no local de trabalho mas apenas que "sejam" fumadoras. Isso parece-me inaceitavel. A seguir, poderiam so' aceitar quem va' 2 ou 3 vezes por semana ao ginasio, ou quem tenha determinado nivel de colestrol, ou quem nao beba, etc.

    O perigo e' confundir a esfera privada com a esfera publica. Mesmo na optica de "dar o exemplo" isto parece-me inaceitavel. Ainda para mais sendo uma instituicao publica.

    Joao: ja' leste o ultimo Saramago, e'? :)

    Acho que percebo o teu ponto filosofico: se e' algo inevitavel apenas porque ainda nao se encontrou qualquer contra-exemplo. Is that so??

    By Blogger Tiago Mendes, at 2:02 da tarde  

  • No.

    By Blogger Joao Galamba, at 2:16 da tarde  

  • Um evento na vida de alguem pressupoe que a vida continua. Por isso e' que a morte nao e' um evento na vida de ninguem...

    By Blogger Joao Galamba, at 2:17 da tarde  

  • Percebo o teu ponto mas discordo. Nao acho que seja necessario que haja continuidade para que se possa falar de um evento. E se considerares que ha alguem que o observa, ainda mais.

    Sera' que se uma pessoa morrer numa ilha deserta, de facto morre? Sem testemunhas?

    E' impressao minha ou estamos saudosamente a voltar 'as discussoes Wittgenstein-Russellianas sobre se esta' um rinoceronte na sala de jantar ou nao? :)

    By Blogger Tiago Mendes, at 2:21 da tarde  

  • é sem duvida um tipo que
    uma violação da compreensão da esfera pessoal/trabalhador.

    nos eua há uns anos muitas empresas punham esse requisito no recrutamento, acontece que hoje muitas empresas deixaram de impor essa regra pois perdiam muitos trabalhadores qualificados.

    mas na WHO a sua máxima não é a de uma empresa, portanto perguntamo-nos tem fundamento um trabalhador que é fumador trabalhar na promoção da saúde? não é difícil responder dizer que promoção não significa imposição.

    By Anonymous joaodaveiro, at 3:32 da tarde  

  • T,
    Aqui vou eu quebrar o meu principio e contribuir para as “audiencias”, custa-me mas tem mesmo que ser.
    Pois ora aqui estao dois (alias tres) topicos que mexem comigo.
    Primeiro e o absurdo da nova medida da OMS. Nao consigo admitir que condicionem o modo como alguem quer morrer (e vejamos que nao passa de uma probabilidade) seja a esfera pessoal ou publica. Ha quem chame a isto um problema de lidar com a autoridade, eu ca o chamo de um atentado a mais intima liberdade individual. Vem quase de maos dadas com o principio (mais um) da igreja catolica de nao “enterrar os mortos por suicidio”, bem mas isso nao e para aqui chamado. Caneco, que chatice se nem se pode morrer como bem se entende! Por exemplo a mim e mais conveniente morrer de cancro do que ter Parkinson ou Alzheimer (e que nao me estou a ver de pipetas nas mao a tremelicar). Estou profundamente de acordo contigo Tiago: Inaceitavel!

    O segundo ponto desenrola-se do primeiro e tem que ver com esse paternalismo/autoritarismo para com os fumadores. Essa palmadinha nas costas como quem diz “e’ melhor para ti, e melhor para todos”. Pois eu concordo que e uma chatice ficar com o cheiro do tabaco entranhado em todo lado, que os fumadores cheiram mal, mais, subescrevo que os fumadores nao tem nada que incomodar os imaculados nao fumadores. Mas entao nao me venham dizer que vou morrer, pois imaginem que ja me tinha apercebido disso e ate que era inevitavel!; nao me venham dizer que fico mais cara ao sistema nacional de saude (poupo na reforma da seguranca social); definitivamente nao me digam que nao me empregam porque sou uma fumadora. Os exemplos dao-se as criancas e mesmo assim tomara que fossem dados mais na esfera privada do que num modelo social. Pergunto-me o que faz a OMS com trabalhadores que nao tem sexo seguro?! Quem sabe em breve nao temos uma OMS Big brother?!

    Por ultimo, nao me decepciones T. e reforces as tuas ideias com o “tag” “ “eu sou nao fumador e consideravelmente anti-tabagista”!!! E que nao passa de mais um paternalismo.
    AS

    By Anonymous AS, at 5:07 da tarde  

  • "subescrevo que os fumadores nao tem nada que incomodar os imaculados nao fumadores."

    Cara AS,

    Era so' isso que eu queria dizer quando escrevi "eu sou nao fumador e consideravelmente anti-tabagista". Nao que eu queira "aconselhar" ninguem a nao fumar, mas apenas que defendo os direitos dos nao-fumadores, embra nao de forma radical. DIgamos que escrevi isso a pensar no Miguel Sousa Tavares e outros radicais defensores dos direitos "inabalaveis" dos fumadores.

    Nao era ser politicamente correcto, nem paternalista. Apenas dizer que acho que deve haver um meio termo, por exemplo, promovendo zonas de nao fumadores e fumadores. Mas passo-me quando vejo malta a fumar no Metro ou no aeroporto da portela.

    By Blogger Tiago Mendes, at 5:16 da tarde  

  • Pois! Anda tudo mais que doido ! E o pior é que o tabaco continua a ser uma fonte considerável de produção de riqueza ... e de receitas fiscais ! Como, aliás, a proibiçãozinha também tem as suas vantagens ... menos custos na renovação do ar, nos aviões, por exemplo e em situações semelhantes.

    Mais: Até teve "direito" a reivindicar apio estatal, durante a seca em Portugal !

    Fumar faz mal ? ... Pois fará !

    Os não fumadores tem direito a queixar-se ? Claro !

    Os que morrem de cancro são todos fumadores ... ou as percentagens avançadas têm a mesma mistificação de "certas" "sondagens" ?

    Zonas de fumadores ... Ah! Ah! Ah! Se forem como aquelas que se encontra por esse mundo fora ... Autênticos Guetos, como a salinha da Ópera de Praga ... mais vale não existirem !

    Mas, acima de tudo: Acabem com a hipocrisia que está implícita nesses pseudo campeões do AR PURO ... escamoteadores do facto de esse ar estar cheio de doses maciças de gases bem mais prejudiciais do que os do fumo do tabaco.

    Além do mais ... Já que nos viciaram, deixem-nos um pouco de liberdade individual ... Não queiram fazer de nós carneirinhos bem comportados ...

    Última nota: Essa dos fumadores cheirarem mal, de um dos "comments" ... era para rir ?

    Aplauso, pois, para o não fumador TM.

    By Anonymous IM, at 7:16 da tarde  

  • Hábitos privados com consequências públicas...

    By Anonymous ocontradito, at 10:05 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home