aforismos e afins

06 dezembro 2005

A ler

«I am an English-born Canadian who now lives in Florida. (...) Yet after a lifetime of studying Americans (...) I am still puzzled. Most particularly over religion. I cannot understand how anyone over the age of 12 can take seriously and literally the creation stories of Genesis. It is truly beyond me to fathom how someone can spend time and effort actually trying to work out the elephants' living arrangements on the Ark. Yet this is the sort of stuff I deal with daily on my campus.

You think I exaggerate? Survey after survey shows that more than 50 per cent of Americans do not believe in evolution. It is too embarrassing to say out loud how many believe that humans and dinosaurs co-existed. None of this would matter, except these incredible ideas about world history are linked with equally extreme views about the end of time. The Rapture of the saved up to heaven, the return of Jesus, and then a bloody Armageddon that will make the wars of the last century look like pillow fights.

This all leads to moral drives in the present. Do not attempt grand plans of reform and progress. Concentrate on personal purity, so you will be among the chosen. Do not concern yourself with plans for universal health care. Stop the plug from being withdrawn from Terri Schiavo. Do not worry about the levees of New Orleans. Fight the good fight against the anti-Christ in Iraq. Care not for the gun-driven murder rate. Support the Second Amendment to the Constitution and the right to bear arms.»

Recomendo o artigo todo. (via Johnny-be-bad-today)

10 Comments:

  • Ótimo texto. Tenho a mesma dificuldade de entender essa histeria toda. Quer dizer, é obvio que existe um esquema de PR cujo objetivo é justamente essa neblina intelectual. Mas daí a que as pessoas realmente acreditem.... Enfim, suspeito que muitos destes nem sabem que a religião não deveria pregar a burrice.

    []s

    By Anonymous Fernando, at 7:58 da tarde  

  • Obrigado pelo comentario, caro Fernando. Bem-vindo 'a casa.

    By Blogger Tiago Mendes, at 8:31 da tarde  

  • não há nenhum paradoxo!
    dois efeitos:
    1) imigração extremamente qualificada para os EUA.
    2)é necessário apenas um pequeno grupo de pessoas para puxar o vagão. (a história está cheia de exemplos deste tipo).

    By Anonymous joaodaveiro, at 10:53 da tarde  

  • 'extremamente qualificado' e 'intelligent design' de mão dadas?!? Acho difícil. Enquanto isso, no Oriente Médio, há alguns que esperam encontrar 70 virgens no lado de lá. Espero que as virgens também sejam extremamente qualificadas...

    Abraços

    By Anonymous Fernando, at 2:31 da manhã  

  • "que as virgens também sejam extremamente qualificadas..."

    Mas isso não é um bocado paradoxal, caro Fernando? Uma virgem, sem experiência, qualificada??

    Lembremeos Pacheco Pereira (não o vivo, o DUarte mais antigo):

    "A experiência é a madre de todas as cousas".

    A não ser que o Fernando esteja a pensar noutras especializações, tipo cozinhar e coisas assim... nesse caso, o melhor era dizer aos muçulmanos "não se fiem na virgem", que ainda levam um barrete ;)

    By Blogger Tiago Mendes, at 10:16 da manhã  

  • Há uma cultura do ressentimento, larvar e impenitente, no seio de algumas igrejas: ressentimento contra a secularização das mundividências,ressentimento contra o laicismo do estado, ressentimento contra a menorização da sua influência e poder simbólico,ressentimento, enfim, contra o expeimentalismo da vida moderna.
    Que este ressentimento clérico-obscurantista se dissemine pelo pensamento neo-con, nos inomináveis literalistas bíblicos ou no filo-criacionismo ignaro dos adeptos do intelligent Design, a coisa é inteligível e expectável. Mas,meus amigos, o que é ininteligível e me deixa prostrado, é o estranho conúbio entre este obscuro ressentimento e algum pensamento liberal.
    Em bom rigor, enuncia-se neste facto uma verdade consabida: o liberalismo(no singular, é claro) nunca existiu.

    By Anonymous p.ferre., at 11:15 da manhã  

  • "o que é ininteligível e me deixa prostrado, é o estranho conúbio entre este obscuro ressentimento e algum pensamento liberal."

    Exactamente. Sobretudo em Portugal. E isto para não acrescentar um "(dito)" antes do liberal.

    By Blogger Tiago Mendes, at 11:39 da manhã  

  • "é um bocado paradoxal"

    É, foi exatamente essa contradição que meus três pontos se referiam. :) Mas talvez esteja havendo um confusão de paradoxos aqui (da minha parte).

    Até onde eu vejo as coisas aqui nos EUA, boa parte dos avanços do ID se deve ao conluio entre a direita conservadora americana e parte de sua base eleitoral (os extremistas religiosos). É difícil discutir com alguém cuja visão do mundo se limita à uma interpretação extrema da Bíblia; o que a própria Casa Branca está experimentando na pele com os devaneios recentes da ala evangélica. Mas esses sempre foram os que fazem mais barulho e que, infelizmente, estão em evidência agora. Ainda suspeito que por mais que muitos acreditem no criacionismo, este ainda seja visto como bobagem onde realmente importa (e por mais gente do que apenas aqueles provenientes da imigração qualificada).

    Abraços

    By Anonymous Fernando, at 4:56 da tarde  

  • Agora que reli os comentários com mais cuidado vejo que p.ferre já disse tudo o que havia a ser dito sobre o assunto (e de forma bem mais refinada).

    Esse conúbio liberal-obscurantista é justamente a ponta do iceberg da hipocrisia neocon: um sequestro do conceito do direito individual como forma de ungir atitudes reaccionárias com uma apariência mais apetitosa aos seus anseios de poder.

    Abraços

    By Anonymous Fernando, at 5:02 da tarde  

  • Exactamente, Fernando. Obrigado pelos comentários. Abraço,

    By Blogger Tiago Mendes, at 6:00 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home