aforismos e afins

11 novembro 2005

Liberalismo(s) 1

«Fui sempre fiel, por índole, e reforçado ainda por educação - a minha educação é toda inglesa -, aos princípios essenciais do liberalismo, que são o respeito pela dignidade do Homem e pela liberdade do Espírito, ou, em outras palavras, o individualismo e a tolerância, ou, ainda, em uma só frase, o individualismo fraternitário.» [Fernando Pessoa] (republicado daqui; ver também isto)

8 Comments:

  • :)

    By Blogger AA, at 11:57 da tarde  

  • Sim, não está mal, é uma citação oprtuna. Mas ficaria mais pessoano se lhe juntássemos a frase seguinte do texto original.

    http://puraeconomia.blogspot.com/2004/12/individualismo-fraternitrio.html

    By Blogger J.A., at 12:14 da tarde  

  • Ficaria mais pessoano mas menos passível de ter o meu "amen" :)

    Vou ponderar...

    DE qualquer maneira, foi uma agradável coincidência - não conhecia este post no PE. Aqui fica a citação toda então:

    "Fui sempre fiel, por índole, e reforçada ainda por educação - a minha educação é toda inglesa - aos princípios essenciais do liberalismo - que são o respeito pela dignidade do Homem e pela liberdade do Espírito, ou, em outras palavras, o individualismo e a tolerância, ou, ainda, em uma só palavra, o individualismo fraternitário.
    Há três realidades sociais - o indivíduo, a Nação, a Humanidade. Tudo o mais é factício.
    São ficções a Família, a Religião, a Classe. É ficção o Estado. É ficção a Civilização.»"

    A minha razão para não publicar tudo é que a parte final é "outro tema". E não só não tem tanto a ver com o liberalismo, como até lhe é contrário, no ponto de vista de certas correntes.

    COmo o meu ponto era enfatizar o "individualismo fraternitário" (como também fizeste no [título do] teu post, aliás), acho que é aceitável náo citar tudo. O ponto é mesmo "chocar" um bocadinho alguns libertários, e lembrar que há várias formas de liberalismo.

    E, sobretudo, que há essa coisa que é a "tolerânia" que não deve ser apenas "passiva/negativa", mas ter algo de "proaactivo", ou fraternitário. As palavras escolhidas não são as melhores, mas acho que se percebe a ideia. Foi o ponto que fiz aqui:

    http://aforismos-e-afins.blogspot.com/2005/08/liberalismo-moral-e-costumes-2.html

    By Blogger Tiago Mendes, at 12:22 da tarde  

  • http://aforismos-e-afins.blogspot.com/2005/04/pessoalismos-43-escritos.html

    Foi aqui que o publiquei primeiro, já faz tempo. Omiti a frase final (na tua citação completa) porque não me identifico totalmente com ela...

    By Blogger Tiago Mendes, at 12:52 da tarde  

  • "aqui que o publiquei primeiro, já faz tempo. Omiti a frase final (na tua citação coampleta) porque não me identifico totalmente com ela"

    Eu percebi - mas eu estava a brincar. Na realidade não há "citações completas", basta que sejam citações para que sofram (mais ou menos) com a retirada do contexto - e por contexto pode até mesmo entender-se o livro onde se encontravam originalmente.

    By Blogger J.A., at 2:12 da tarde  

  • Ainda a propósito da citação: ela faz parte de um texto em que o próprio Pessoa escreve sobre a Mensagem. Também quanto a este livro os portugueses têm uma relação ambivalente: há ali coisas difíceis de aceitar para muita gente, mas há outras que agradam sobremaneira.

    Ocorre, por exemplo, uma completa e abusiva descontextualização no uso e abuso da frase: "Tudo vale a pena se a Alma não é pequena". Mas o poema de onde a frase foi retirada tem escrito imediatamente antes, referindo-se à saga dos Descobrimentos: "Valeu a pena?" (reportando-se aos sofrimentos que provocaram). Ora a frase também pode ser lida como uma dúvida: será que valeu mesmo a pena? (teria valido apenas se a Alma não fosse pequena...)

    By Blogger J.A., at 2:21 da tarde  

  • Concordo que as citações nunca são completas... até diria que seria preciso ler não só o livro, como a obra toda! Para não falar no contexto em que é escrito, na epoca, etc :)

    Contudo, em relação especificamente à frase que citas - "Tudo vale a pena se a Alma não é pequena" - acho que é possível interpretá-la fora do contexto, extactamente por ter o "todo". Acho que isso torna a frase - e julgo que isso é intencionado - "universalmente aplicada". Embora tenha um sentido metafórico também.

    PS: nos arquivos anteriores a Junho publiquei várias citações de Pessoa que me são especialmente queridas - in case you want to have a look at it. Destaco estes:

    http://aforismos-e-afins.blogspot.com/2005/01/pessoalismos-18-escritos.html

    http://aforismos-e-afins.blogspot.com/2005/01/pessoalismos-16-escritos_18.html

    http://aforismos-e-afins.blogspot.com/2005/01/pessoalismos-14-dirio-i-parte-2.html


    http://aforismos-e-afins.blogspot.com/2005/03/pessoalismos-37-escritos.html

    http://aforismos-e-afins.blogspot.com/2005/04/pessoalismos-44-escritos.html

    http://aforismos-e-afins.blogspot.com/2005/04/pessoalismos-41-escritos.html

    By Blogger Tiago Mendes, at 2:33 da tarde  

  • Boa citação.

    By Anonymous Fernando Pessoa, at 5:08 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home