aforismos e afins

13 dezembro 2005

Não há bela sem senão

Depois de um remate certeiro, parece que a atracção bipolar atacou Henrique Raposo. Ou este post não é um auto-golo? Será que HR é a favor da pena da morte? Acho que devia deixar a sua posição mais clara. Se bem entendo a sua argumentação (?), HR parece insurgir-se contra os que se insurgem contra a América. Que se insurge contra o «eixo do mal», que se insurge contra o Ocidente que... estão a ver, não é? A mítica lógica da barricada. A forma como HR descreve os (supostos) anti-americanos primários, que serão contra a pena de morte por serem contra a América, fecha por definição o espaço ao debate. Tudo muito liberal.
.
São de esquerda e defendem o fim da pena de morte na América? Esperem lá. Se são de esquerda, são quase de certeza anti-americanos. Se são anti-americanos, certamente que estão a dizer isso só para chatear. Logo, eu vou escrever um post sobre a pena de morte, sem falar nela, mas apontando essa reacção primária. Se eles são contra só para chatear, eu serei contra-contra para chatear ao quadrado. Olho por olho. Granada por granada. Se sai vitupério da trincheira de lá, a gente cá não se fica por menos.
.
Tenho que dizer que acho verdadeiramente peculiar que um liberal consiga escrever tanto sobre um assunto que versa sobre o valor sagrado da vida sem de facto falar nele, limitando-se à questão acessória, política. Diria mesmo, fugindo dele. Mas as escolhas são soberanas, claro. Cada um escreve sobre o que quer. Eu limito-me a estranhar. E a mostrar o necessário cartão. Como outros.
.
PS: O Henrique esclareceu a sua posição, em post recomendado.

9 Comments:

  • Meu caro Tiago, devo dizer-te que tive de ler 3 vezes este teu post e reler o do HR.

    Penso que estarás a ser um pouco exagerado, não creio que o HR tenha entrado na lógica da barricada, percebe-se que ali no meio ele não perdeu a oportunidade de fazer o seu apontamento sobre o anti-americanismo [fugiu-lhe o pé para a chinena]. mas não me parece suficientemente grave para levar cartão.

    já este teu post, eu considero mercedor de uma boa apitadela...

    By Blogger aL, at 12:34 da manhã  

  • O primeiro problema que eu vejo no post do Henrique é que de facto não se percebe onde é que ele quer chegar, porque ele começa com uma diatribe sobre a América, depois entra em divagções teóricas (que não fazem muito sentido, mas ok, não me apeteceu escrever sobre tudo), para voltar a rematar na lógica de barricada. FOrmalmente, considero o post muito confuso. O que sõ faz aumentar a minha "suspeita" de que o post é escrito numa lógica de barricda puramente apitadeira, de invocar "mais um" pecado da esquerda anti-americana.

    O que me parece sinceramente mais preocupante é a forma algo leviana com que ele, quanto a mim, trata (ou melhor, não trata) a questão da pena da morte.

    Tu não ficaste com a ideia de que ele não é - por principio - contra a pena de morte? Eu fiqueei com essa ideia. Que ele admitiria excepçõs. Eu acho isso - A SER VERDADE, NAO DIGO QUE O SEJA; PORQUE NAO PERCEBI INTEIRAMENTE, ESTOU A INTERPRETAR - suficientemtne significativo para noa ser "side stepped" in between some minor issues.

    A cereja em cima do bolo seria mesmo alguém dizer que quem é contra a pena de morte por principio está a ser politicamente correcto... ou está a querer fazer parte dessa turminha de esquerda... NAO digo que é isto que penso do HR, mas apenas que isso PARCIALMENTE tranasparece do que ele escreve e sobretudo do que DEIXA POR escrever.

    "já este teu post, eu considero mercedor de uma boa apitadela..."

    Mas isso até agradeço - honestly :)

    É sinal que estamos vivos, prontos a debates, e a criticar. Venham de lá esses cartões. Caneladas por trás é que não, mas pela frente, venham de lá essas placagens :)

    Ao contrário de outros, eu acho que um debate IMPLICA apitos, e isso é saudável. Diabolizar os apitos, isso sim! - é que é entrar na logica da toleranciazinha nacional-porreirista que ele criticou hoje! Pronto, lá falei eu da contradição!

    By Blogger Tiago Mendes, at 12:43 da manhã  

  • tive de voltar a ler o post do HR e realmente ele patina ali no meio que é uma pena, tendo em conta que por hábito o HR é muito incisivo e organizado no que respeita ao "desmascarar dessa esquerda anti-americana".

    é por isso que eu acredito numa certa vontade de não entrar na lógica da barricada. Acho que se ele o quizesse fazer, seria muito mais "certeiro e direccionado". Eu já li outros post do HR que apesar de me repugnar o conteudo a forma era impecável, o que não acontece neste...

    By Blogger aL, at 1:08 da manhã  

  • Formalmente, acho que este é o post mais fraco do Henrique, não sei o que lhe terá dado, parece que foi escrito a duzentos à hora, sem pensar... mas isto no fundo é um grande elogio a ele, porque ele é de longe das pessoas que escreve melhor, quer em termos formais, quer na sua capacidade metafórica e demiúrgica (pensemos na imagem dos apitos e dos cartões, que ficou, como em outras, igualmente poderosas, ainda que eu discorde no conteúdo), por essa blogosfera fora.

    Mas repara que isso é um argumento mais "indicador" (náo há certezas, só especulações... e respeito pelo autor) de que as motivações poderão ter sido mais de barricada que de outra coisa. Sinceramente, tive que ler mais do que uma vez o post para tentar perceber o post. E depois reler para tentar perceber t~itulo. Acho que é uam grande slaganhada. Nada de mal, se não versasse sobre um tema como a pena de morte, ainda para mais tratado (quanto a mim) de forma leviana por fazer uma anãlise baseada nao no tema em si mas na logica politiqueira.

    Só por isso é que eu achei imperativo "mostrar cartão". COm desportivismo mas sem medos.

    By Blogger Tiago Mendes, at 1:18 da manhã  

  • bom, agora deixaste-me confusa?!? Então agora o problema do post do HR é a forma e não o conteudo??!!??

    neste teu 2º comentário aquilo que dizes estar a fazer é para mim não um "mostrar cartão" é mais uma nota de rodapé a vermelho [como os meus professores do liceu costumavam fazer...]

    «parece que foi escrito a duzentos à hora, sem pensar... mas isto no fundo é um grande elogio a ele» Como disse??? o post é mau e ponto final. [na minha opinião é claro]

    defendes então que a obra deva ser avaliada contextualizando o conjunto das obras do autor ao invés de ela valer por si???

    By Blogger aL, at 1:41 da manhã  

  • Alaíde,

    O ponto formal não é o essencial, e seria no mínimo deselegante estar a referir isso no post. O que eu digo é que o facto de me "parecer" ter sido escrito à pressa dá "um pouco" mais de peso à ideia que terá sido escrito com mais "emoção" do que "razão" do que o NORMAL em HR.

    Um texto tem que ser avaliado à luz do contexto e do autor, certamente. Este texto seria perfeitament "aceitável" ou "mediano" para a blogosfera em geral. Mas não para o HR, que escreve muito, muito bem. Era só isso que queria dizer. Que eu considerando-o um "mau" post em termos de escrita, estava de facto a elogiar o HR; porque o post "em si" é perfeitamente "mediano" (em termos de escrita), mas a mediania está muito longe do que o HR nos habituou.

    Clearar??

    By Blogger Tiago Mendes, at 11:55 da manhã  

  • Mas tiago, aceitar que um texto deve ser avaliado exclusivamente à luz do contexto e da obra do autor, parece-me a mim uma atitude desculpabilizante da mediocridade [não me estou a referir directamente ao post do HR).

    Estou sem tempo para defender melhor a minha posição tanto neste assunto, como no caso “tolerância” [onde me parece que estamos – novamente – a falar línguas diferentes, mas a dizer na essência a mesma coisa]

    Ao final do dia, retomarei o assunto…

    By Blogger aL, at 12:09 da tarde  

  • Li em diagonal os comentários anteriores e pareceu-me que a Alaíde disse já aquilo que penso. Também não concordo com a tua interpretação. Parece-me claramente que o que o HR quis dizer foi ser contra a pena de morte, criticando porém, aqueles que são contra a pena de morte apenas quando ela é imposta por estados americanos. E nisso estou de acordo. Quase só se fala na pena de morte quando ela é aplicada por um estado norte-americano, e normalmente quem o faz, aproveia para criticar outros sectores da vida americana.

    By Blogger CGP, at 12:13 da tarde  

  • Alaíde, eu não disse "exclusivamente", mas "inclusivamente". De resto, repara que estamos a discutir isto nos comentários porque tu levantaste a questão. Eu não a acho essencial, e por isso não a inclui no post. DE resto, repito que se fosse avaliar o post EM SI, claro que seria IMPARCIAL. Mas eu estou a avaliar o post (em termos de escrita) não EM SI (como se fosse um concurso imparcial) mas à luz do que HR escreve.

    Ou seja, não estou nada a desculpar ou a dar azo a mediocridade. Antes pelo contrário. Eu defendo total anonimato na avaliação de testes, exames, etc. Mas aqui não estou a avaliar nada para "concurso", mas apenas a constatar que este texto está formalmente (muito) abaixo da média do HR e que isso PODE INDICAR um efeito marginal de emoção.

    FOI SO ISSO E SO POR ISSO QUE EU PEGUEI NO PONTO da qualidade da escrita, para enfatizar a ideia do post que para mim é demasiado de barricada.

    Era o que mais falatava se eu agora fosse criticar textos por estarem mais ou menos bem escritos... só o disse aqui em comentário de RODAPE, como tu disseste, e nao para o criticar EM SI (nao acho isso aceitavel, sinceramente) mas apenas para reiterar um ponto,

    Karloos,

    Percebo o teu ponto. No entanto, notava que os EUA são uma pátria de LIBERDADE com uma certa e deerminada concsituição americana, e que se arrogam o facto de serem paadinos da liberdade por esse mundo fora.

    Achar que os EUA estão ao mesmo nível da China é demagogia pura. Claro que os anti-americanos deviam criticar a China - claro! Mas é muito mais INCOMPREENSIVEL a pena de morte num pais como os EUA do que na China.

    O HR, ao não frisar isto, entra quanto a mim na lógica de barricada, porque apotna baterias mais ou menos indiscrimindamente (i..e, sem tentar argumentar) aos anti-americanos primários.

    Eu sou contra a pena de morte EM ABSOLUTO. Tenho "esperança" que a China e outros países naó liberais possasm evoluir rapidamente para democracias liberais do tipo ocidental, e espero que se faça pressão para isso.

    Tneho "nojo" que nos EUA haja uma violação tão básica do principio da sacralidade da vida, como aliás defende HR em novo post (a sacralidade, nao o nojo).

    AChar que estão todos no mesmo saco é quanto a mim desonesto. Daí também o cartão vermelhor.

    FOlgo, de resto, que o HR tenha esclarecido a sua posição hoje.

    By Blogger Tiago Mendes, at 12:27 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home